PRF divulga balanço final da operação Nossa Senhora Aparecida no RN: sem mortes

 

Fonte: G1 RN

A operação Nossa Senhora Aparecida 2018 da Polícia Rodoviária Federal registrou menos acidentes, menos feridos e nenhum acidente com morte nas BRs que cruzam o Rio Grande do Norte.

Durante os quatro dias da operação, realizada entre a 0h da quinta (11) e a meia-noite deste domingo (14), foram registrados 19 acidentes com 18 pessoas feridas. No ano passado, foram registrados 21 acidentes com 21 feridos e 6 pessoas morreram.

Fiscalização

No decorrer da operação, a PRF fiscalizou 2.416 veículos e 2.559 pessoas. Foram feitas 697 autuações por infrações diversas.

A fiscalização de alcoolemia e de combate ao excesso de velocidade foram importantes para a redução no número de acidentes. Ainda de acordo com a PRF, cerca de 900 motoristas passaram pelo teste do bafômetro, dos quais 17 foram autuados por estarem dirigindo sob efeito de bebida alcoólica.

Com relação ao excesso de velocidade, 370 veículos tiveram a imagem capturada pelo Radar fotográfico por transitarem com velocidade acima da permitida para o local.

Outro indicativo nessa direção de combate às causas dos acidentes graves é a fiscalização quanto ao número de ultrapassagens proibidas. 38 motoristas foram autuados por realizar a manobra em faixa dupla contínua amarela ou de forma forçada.

Educação para o trânsito

No tocante ao trabalho preventivo, a PRF realizou ações voltadas para conscientizar os condutores e passageiros de veículos que estavam em deslocamentos nesse final de semana prolongado. Cerca de 230 pessoas foram abordadas e sensibilizadas sobre a responsabilidade com a segurança no trânsito.

Pessoas detidas

Durante a operação, a Polícia Rodoviária Federal também atuou no combate à criminalidade. Dez pessoas foram detidas por crimes diversos. Destas, quatro foram presas por embriaguez, duas por porte de droga para consumo e uma por porte ilegal de armas de fogo.

Príncipe Harry e Meghan Markle anunciam que esperam 1º filho

 

Fonte: G1

O Palácio de Kensington anunciou na manhã desta segunda-feira (15) que a duquesa de Sussex Meghan Markle, mulher do príncipe Harry, está grávida do primeiro filho, que deve nascer na primavera de 2019 no Reino Unido (outono no Brasil).

O anúncio foi feito no Twitter oficial do palácio de Kensingnton no dia em que o duque e a duquesa de Sussex iniciam uma viagem pela Oceania. A viagem real, que teve a Austrália como ponto de partida, é a primeira de Megahn e Harry desde que se casaram, 5 meses atrás.

Kensington Palace

@KensingtonRoyal

Their Royal Highnesses The Duke and Duchess of Sussex are very pleased to announce that The Duchess of Sussex is expecting a baby in the Spring of 2019.

O Palácio de Kensington disse que o casal “agredeceu todo o apoio que recebeu de pessoas em todo o mundo desde o casamento em maio e está feliz por poder compartilhar esta feliz notícia com o público”.

O bebê será o sétimo na linha sucessória da coroa britânica. A realeza britânica não deu mais informações sobre a gravidez.

Meghan Markle chega nesta sexta-feira (12) à capela de São Jorge, onde se casou, para o enlace da princesa Eugenie e Jack Brooksbank  — Foto: Gareth Fuller/Pool via ReutersMeghan Markle chega nesta sexta-feira (12) à capela de São Jorge, onde se casou, para o enlace da princesa Eugenie e Jack Brooksbank  — Foto: Gareth Fuller/Pool via Reuters

Meghan Markle chega nesta sexta-feira (12) à capela de São Jorge, onde se casou, para o enlace da princesa Eugenie e Jack Brooksbank — Foto: Gareth Fuller/Pool via Reuters

Meghan, que antes de entrar para a família real já era uma conhecida atriz norte-americana, se casou com Harry em maio deste ano, na Capela de São Jorge, no castelo de Windsor.

Com isso, tornou-se a mais recente plebeia a entrar para a realeza britânica, concretizando um enlace que tomou conta do noticiário no mundo todo.

Príncipe Harry, Meghan Markle e rainha Elizabeth conversam depois do casamento da Princesa Eugenie, na sexta-feira (12). Anúncio da gravidez de Meghan foi feito nesta segunda (15)  — Foto: Aaron Chown / AFP

Príncipe Harry, Meghan Markle e rainha Elizabeth conversam depois do casamento da Princesa Eugenie, na sexta-feira (12). Anúncio da gravidez de Meghan foi feito nesta segunda (15) — Foto: Aaron Chown / AFP

O casal participou na sexta-feira (12) da cerimônia de casamento da princesa Eugenie, neta da rainha Elizabeth, e Jack Brooksbank. A cerimônia ocorreu em Windsor, na capela de São Jorge, mesmo local do enlace de Harry e Meghan.

Príncipe Willian, Kate, príncipre Harry e Meghan participam do casamento de Eugenie e Jack nesta sexta-feira (12) na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor — Foto: Owen Humphreys/Pool via Reuters

Príncipe Willian, Kate, príncipre Harry e Meghan participam do casamento de Eugenie e Jack nesta sexta-feira (12) na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor — Foto: Owen Humphreys/Pool via Reuters

Duque e Duquesa de Sussex

O título de Duque e Duquesa de Sussex foi concedido pela rainha horas antes do casamento, em maio. O título era um dos poucos que ainda estava vago e sua origem remonta a 1801, quando o então Rei George III (1738-1820) concedeu o ducado de Sussex ao seu filho Augusto.

Harry, de 34 anos, é filho do príncipe Charles da falecida Diana de Gales, e neto da rainha Elizabeth 2ª. A atriz norte-americana Meghan Markle tem 37 anos.

ONU se diz ‘profundamente preocupada’ com violência em processo eleitoral do Brasil

 

Fonte: Terra

ONU diz “profundamente preocupada” com o clima de violência nas eleições brasileiras e pede que líderes políticos nacionais condenem explicitamente tais atos. Numa declaração emitida nesta sexta-feira, 12, em Genebra, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos deixou claro que a situação brasileira tem sido considerada como “delicada” por parte do organismo internacional e pede investigações imparciais sobre os crimes registrados.

O acirramento da política em meio à disputa eleitoral tem desembocado em episódios de violência física, facada contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) e até um assassinato. Nos últimos dias, foram registrados no País diversos casos de agressão por motivação política.

Na capital baiana, depois de se envolver em uma discussão na qual defendia o candidato petista, o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, foi assassinado a facadas dentro de um bar.

 

Bolsonaro foi questionado sobre o assassinato. “A pergunta deveria ser invertida. Quem levou a facada fui eu. Se um cara lá que tem uma camisa minha comete um excesso, o que tem a ver comigo? Eu lamento, e peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle.”

Na quarta-feira, ele voltou ao assunto em seu Twitter, já com um outro tom. “Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar.” Mas, em uma segunda postagem, ele disse haver um “movimento orquestrado forjando agressões” para o prejudicar, “nos ligando ao nazismo, que, assim como o comunismo, repudiamos”.

Na ONU, o apelo é pelo respeito. “Condenamos qualquer ato de violência e pedimos investigações imparciais, efetivas e imediatas sobre tais atos”, declarou a porta-voz do escritório da ONU, Ravina Shamdasani.

Justiça proíbe contingenciamento para segurança pública em 2019

 

Fonte: Agora RN

A 3ª vara da Fazenda Pública de Natal decidiu proibir o Governo do Rio Grande do Norte de contingenciar verbas para segurança pública. A decisão obriga que, em 2019, o Executivo libere recursos para a expansão das atividades, aquisição de equipamentos e adoção de novas tecnologias no combate ao crime.

A ação decorre de um pedido feito pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte. A decisão judicial é destinada para o atual governador do Estado, bem como para o secretário estadual do Planejamento e das Finanças. Como o atual governador não conseguiu se reeleger nas eleições deste ano, a decisão deverá ser cumprida pelo próximo governador ou governadora a serem escolhido em segundo turno.

O Judiciário lembra o notório e vertiginoso aumento da criminalidade no RN, “que vem avançando progressivamente no cenário social de maneira muito preocupante, na medida em que a Administração Pública não consegue resolver a situação”.

No período entre 2015 e 2017, a frustração da receita foi de 11,3%, enquanto o contingenciamento das verbas para a área de segurança pública foi de 14,8%. Em números absolutos, o Rio Grande do Norte deixou de gastar R$ 65 milhões com custeio e investimento em segurança pública.

Segundo o MPRN, o tesouro estadual contingenciou 20% das verbas para custeio e 94,4% das verbas para investimento na área de segurança pública, no total de 65,5% de contingenciamento, chegando ao cúmulo de não gastar um único centavo com investimento no Corpo de Bombeiros Militar e no Itep.

Para o MP, os contingenciamentos, dada a situação de calamidade na segurança pública estadual, não encontram amparo jurídico.

Homens armados tentam roubar vigilantes na rodoviária de Mossoró

 

Fonte: G1

Quatro homens armados tentaram roubar as armas de dois vigilantes de serviço na rodoviária de Mossoró, na noite deste domingo (15). Ninguém foi preso.

De acordo com a Polícia Militar, o grupo chegou em um carro por volta das 21h30, e um dos ocupantes do carro desceu com uma arma de grande porte. Os vigilantes trocaram tiros com os bandidos e acionaram a PM.

O grupo fugiu antes de os policiais chegarem.

Tiros atingiram uma estrutura de vidro do prédio. Os vigilantes não foram atingidos. Ninguém foi preso.

Apenas 6% das cidades têm serviço de mamografia no Rio Grande do Norte

 

Fonte: Agora RN

O Rio Grande do Norte contabiliza apenas nove municípios ofertando serviços de mamografia. Ao todo, são 27 mamógrafos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS) – incluindo o sistema privado.

Natal concentra 24% de toda a oferta de mamógrafos do Estado. A cada quatro equipamentos de exame clínico, um deles está na capital.

Atualmente, o serviço de mamografia está ativo em Natal, Mossoró, Pau dos Ferros, Caicó, Santa Cruz, Currais Novos, Parnamirim, São Gonçalo e Alexandria. As outras duas localidades estão em processo de contratação, segundo a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap).

Dos 27 mamógrafos, apenas cinco são capazes de identificar a posição exata do tumor para a realização de biópsia ou a retirada do tumor de forma precisa, que é chamada de estereotaxia. Os outros 22 são mamógrafos de comando simples, que realizam o exame preventivo e o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Na capital do Estado, são disponibilizados cinco serviços com mamógrafos simples e dois com estereotaxia, com capacidade para produzir cerca de 135 mil mamografias por ano. De janeiro a julho deste ano foram realizados 16 mil exames, com tempo médio de espera de 30 dias, segundo a Sesap.

Segundo o médico mastologista, Maciel Matias, a demora no diagnóstico é um fator determinante na cura da paciente. “O diagnóstico precoce, é na verdade, a única chance que a mulher tem hoje para fazer o seu tratamento com chance de cura”, declarou. “Um centímetro de tumor contém 1 bilhão de células. Se a mulher chega, como acontece na maioria das vezes, com tumor de mais de cinco centímetros, as chances dessa doença estar distribuída em todo seu corpo é muito maior”, explicou Maciel.

A Sesap informou ainda que intensifica as ações de prevenção por meio do Programa de Controle do Câncer de Mama. O mês de outubro também aborda o tema através da campanha outubro rosa. A iniciativa visa alertar e conscientizar as mulheres sobre a importância do diagnóstico precoce e prevenção da doença. O parâmetro estabelecido pelo Ministério da Saúde é de um mamógrafo para cada 240 mil habitantes.

Com os atuais 27 mamógrafos credenciado, o Rio Grande do Norte está dentro dos parâmetros. Contudo, a demanda pelo exame ainda é grande. A agricultora Terezinha Dias, de 47 anos, residente no município de Santa Maria, conta que está a quase um ano esperando para marcar o exame. “Estou há 10 meses esperando para marcar o exame de mamografia, procurei a secretaria municipal de saúde e ainda não consegui marcar”, explicou.

Em sua família já houve casos de câncer de mama e ela teme que possa acontecer com ela. “A gente nunca sabe se vai acontecer com a gente, por isso, faço anualmente o exame preventivo”, finalizou.

Papa Francisco canoniza Oscar Romero, Paulo VI e mais cinco beatos europeus

 

Fonte: Agora RN

O papa Francisco vai canoniza neste domingo, 14, durante a celebração de missa solene na Praça de São Pedro, no Vaticano, Paulo VI, D. Oscar Romero e mais cinco beatos europeus. Entre eles está Nunzio Sulprizio, um jovem de 19 anos que nasceu em Pescara, na Itália, e foi operário e aprendiz de ferreiro.

A Oficina para a Canonização, da Arquidiocese de San Salvador, capital de El Salvador, da qual D. Oscar Ranulfo Romero y Galdamez foi arcebispo por pouco mais de três anos, organizou uma caravana para assistir à celebração. Deverão participar quase 7 mil romeiros saídos de El Salvador, segundo o cardeal salvadorenho Gregorio Rosa Chavez. Esses peregrinos estão alojados em hotéis e casas religiosas em Roma.

O maior número do público será formado por devotos do Norte da Itália, da região de Brescia e de Milão, onde Giovanni Montini exerceu o apostolado, antes de ser eleito papa em 1963, quando assumiu o nome de Paulo VI. Espera-se uma multidão próxima de um milhão de fiéis, somando-se as caravanas de devotos de todos os novos santos. A cerimônia de canonização de São João XXIII e de São João Paulo II, em 2014, reuniu aproximadamente 800 mil pessoas, segundo estimativas do Vaticano.

Falecido em Castelgandolfo, aos 80 anos, em 6 de agosto de 1978, após 15 anos de pontificado, Paulo VI foi beatificado pelo papa Francisco, com a presença do papa emérito Bento XVI, em 19 de outubro de 2014. Seu corpo está sepultado na Basílica de São Pedro em um túmulo simples, como pediu em seu testamento.

Já D. Oscar Romero foi beatificado em maio de 2015. O papa Francisco empenhou-se pessoalmente em seu processo de canonização, que vinha sendo mantido em banho-maria na Congregação para as Causas dos Santos durante os pontificados de João Paulo II e de Bento XVI.

Como mártir, ele não precisaria do reconhecimento de um milagre para ser declarado santo, mas foi apresentado um: a cura uma mulher que sofria grave risco de morrer de parto.

Os bispos de El Salvador pediram que Oscar Romero fosse canonizado em San Salvador ou na Cidade do Panamá, onde Francisco participará, em janeiro, da Jornada Mundial da Juventude. Como não poderia viajar a El Salvador e não queria encaixar a canonização na Jornada, o papa marcou a cerimônia para a Praça de São Pedro.

Ao contrário dos beatos, que têm culto limitado, os santos podem ser venerados no mundo inteiro.

Concílio Vaticano II

Dos três papas canonizados após o Concílio Vaticano II – João XXIII e João Paulo II, em 2014, e agora Paulo VI -, este último foi o que tinha temperamento mais discreto e era o intelectualmente mais preparado.

Filho de uma família de classe média alta, com traços de nobreza de parte da mãe, nasceu em 1897 na cidadezinha de Concesio, perto de Brescia, na Itália, e recebeu no batismo o nome de Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montini. Era de saúde frágil, tanto que, ao se matricular no seminário em 1916, foi autorizado a morar em casa.

Enviado a Varsóvia como adido na Nunciatura Apostólica em 1923, três anos após a ordenação sacerdotal, foi chamado a Roma porque não suportou o inverno polonês. Formado em Direito Canônico pela Universidade Gregoriana, foi professor na Accademia dei Nobili Ecclesiastici e funcionário da Secretaria de Estado, onde trabalhou por 30 anos.

Em 1937, Montini foi nomeado substituto para Assuntos Comuns, sob o então secretário de Estado, cardeal Eugenio Pacelli. Foi reconfirmado no cargo, em 1939, quando Pacelli foi eleito papa com o nome de Pio XII. Era um colaborador eficiente e muito próximo do papa, que em 1954 o nomeou arcebispo de Milão. João XXIII lhe deu o título de cardeal em 1958. No conclave de 1963, sucedeu a João XXIII e escolheu o nome de Paulo. Reabriu o Concílio, que havia sido fechado com a morte de João XXIII prometeu levar adiante as reformas propostas para renovação da Igreja.

Em 1968, abriu a Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Medellín, na Colômbia. Seguiu uma linha conciliadora entre as expectativas conflitantes dos vários grupos, na interpretação e implementação de documentos revolucionários. Foi um papa de pulso forte, apesar da aparência de fragilidade.

Diálogo

Paulo VI foi também um homem de diálogo. Quando era arcebispo de Milão, aproximou-se dos trabalhadores e da Democracia Cristã, de Aldo Moro, de quem foi amigo. Pregava a doutrina social da Igreja, base de sua encíclica Populorum Progressio, sobre o desenvolvimento dos povos, de 1967, e da carta apostólica Octogesima Adveniens, de 1971, no octogésimo aniversário da Rerum Novarum, de Leão XIII. Outros documentos importantes foram as encíclicas Sacerdotalis Caelibatus, de 1967, sobre o celibato dos padres, e a Humanae Vitae, de 1968, sobre o uso de métodos anticoncepcionais e aborto. Dois documentos polêmicos, porque havia expectativa de abertura, mas Paulo VI manteve a doutrina tradicional.

‘Eu entrevistei um santo’

Era uma sexta-feira, 21 de março de 1980, véspera de minha partida de El Salvador, após uma semana de trabalho para uma série de reportagens sobre a violência no país. Guerrilheiros e militantes de esquerda lutavam contra uma junta militar, empenhados em derrubar uma ditadura de centro-direita, instalada cinco meses antes com apoio dos Estados Unidos. Marquei uma entrevista com D. Oscar Romero, arcebispo de San Salvador, a capital. Ele me recebeu em seu escritório no Seminário São José com mais dois jornalistas, um americano, do jornal Dallas Times Herald, e um alemão, da agência de notícias DPA.

“O senhor não tem medo de morrer?”, perguntei ao arcebispo, quando ele se referiu à sua ação pastoral como mediador, que denunciava os extremismos de direita e de esquerda e lia, nas missas dominicais, a relação de mortos e de desaparecidos da semana anterior. A igreja ficava sempre lotada. Havia ameaças contra ele, e eu queria saber se não temia ser assassinado.

“Em Salvador, todos temos medo. Eu prego a verdade e a justiça. Prego um Evangelho que é o Cristo, solução por caminhos de paz e de amor. Pode parecer ridículo pregar isso, mas é a solução. As soluções violentas não são dignas do homem nem são estáveis. A violência é uma espécie de operação cirúrgica para que o doente se cure logo. A Igreja admite a violência quando não há outro caminho, mas é preciso que seja apenas uma passagem. A insurreição como insurreição não tem sentido”, respondeu D. Oscar.

O arcebispo admitiu o risco de ser morto e, três dias depois, levou um tiro no peito, por volta das 18h30 da segunda-feira, 24 de março, enquanto celebrava a missa no Hospital da Providência. Foi um único disparo, ninguém percebeu de onde saiu a bala. O assassino fugiu, após um ronco do motor de um carro que escapou em disparada.

A polícia atribuiu o crime a um atirador contratado pela extrema direita. A Comissão da Verdade da Organização das Nações Unidas (ONU) apurou que o mandante do assassinato foi o major Roberto d’ Aubuisson, fundador da Alianza Republicana Nacionalista, em 1981.

No fim da entrevista ao Estado, D. Oscar escreveu um cartão, pedindo-me para entregá-lo a D. Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo. O cardeal revelou o conteúdo da mensagem em sua autobiografia, Da Esperança à Utopia, publicada pela editora Sextante em 2001. O arcebispo de San Salvador dizia “que nunca esquecia o Brasil e as vítimas do governo ditatorial em suas preces e particularmente em sua missa”. Os dois arcebispos eram amigos desde 1979, quando se conheceram durante a Conferência do Episcopado Latino-Americano de Puebla, no México.

Tranquilo e afável. D. Oscar Arnulfo Romero y Galdamez, então com 62 anos, nasceu em Ciudad Barrios, a 138 quilômetros de San Salvador. Era um homem tranquilo e afável que não se alterava nem quando falava da terrível situação de seu pequeno país, de 21.040 quilômetros quadrados e cerca de 4,5 milhões de habitantes em 1980. Combatia os extremismos, cuja luta custou mais de 75 mil mortos em 13 anos de guerra civil. A direita o odiava, a esquerda o olhava com desconfiança.

“Critiquei as organizações populares (de esquerda), mas a reação do governo é desproporcional e as vítimas são mais numerosas nas esquerdas. A resposta às provocações não deve ser somente militar. É preciso ouvir a voz que clama por justiça. Nos últimos dias, houve vítimas que não morreram em choques, mas em suas casas, após sequestros e torturas”, disse d. Oscar. “Dou números comprovados, temos documentos em nosso Socorro Jurídico: foram mais de 600 os mortos em janeiro e fevereiro”, acrescentou

Apesar de tudo, d. Oscar ainda confiava na Junta Revolucionária que tomou o poder em outubro de 1979, porque dela participava o Partido Democrata Cristão. Mantinha um diálogo com o governo para solução de problemas. “Chamam-me, às vezes, da Casa Presidencial, ou eu recorro, quando necessário, a membros do governo. Sou um mediador em favor do povo. Quando há ameaças de um massacre, por exemplo, entro em contato com o governo. Mas eles também costumam recorrer a mim.”

A fama de santidade, primeira condição para a abertura do processo de beatificação e canonização, alastrou-se por El Salvador e outros países imediatamente. Chamado de mártir das Américas por ter dado a vida em defesa dos direitos dos pobres e perseguidos, D. Oscar ganhou devotos pelo mundo afora. O papa João Paulo II rezou junto de seu túmulo, quando visitou San Salvador em março de 1983.

A partir deste sábado, candidato só pode ser preso em flagrante

 

Fonte: Agencia Brasil

Nenhum candidato que participará do segundo turno das eleições poderá ser detido ou preso, a partir deste sábado (13), a não ser em caso de flagrante delito. A regra, que restringe a prisão de candidatos nos 15 dias que antecedem as eleições, está no parágrafo 1º do artigo 236 da Lei nº 4.737/1965 do Código Eleitoral.

Disputarão o segundo turno, no dia 28 de outubro, os candidatos a presidente da República Jair Bolsonaro, da Coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos (PSL/PRTB), e Fernando Haddad, da Coligação O Povo Feliz de Novo (PT/PC do B/PROS), além de 28 candidatos a governador em 13 estados e no Distrito Federal.

Príncipe Harry e Meghan Markle anunciam gravidez

 

Fonte: Agencia Brasil

O Palácio de Kensington  anunciou hoje (15) que o príncipe Harry e Meghan Markle esperam um bebê, que deve nascer na primavera de 2019, no Reino Unido. A primavera no Reino Unido vai de março a junho.

A gravidez de Meghan Markle foi anunciada no Twitter oficial do palácio.

“Os herdeiros da realeza apreciaram todo o apoio que receberam de pessoas em todo o mundo, desde o seu casamento em maio, e estão felizes em poder compartilhar esta notícia com o público”, diz o texto.

O duque e a duquesa de Sussex iniciaram uma viagem à Oceania.

 

Dias antes de encarar Argentina, Tite fecha treino tático e adota mistério

 

Fonte: Agora RN

O técnico Tite resolveu adotar o mistério neste domingo, em Jeddah, na Arábia Saudita, ao fechar o treino tático que a seleção brasileira realizou visando o amistoso contra a Argentina, na próxima terça-feira, no estádio The King Abdullah Sports City, às 15 horas (de Brasília).

Apenas os primeiros 15 minutos da atividade, período em que os jogadores fizeram aquecimento, foram abertos para os jornalistas É certo, porém, que o treinador deverá promover várias modificações em relação ao time que venceu a Arábia Saudita por 2 a 0, na última sexta-feira, em Riad.

Por meio de nota publicada em seu site oficial, a CBF informou que este foi o treino mais longo da seleção desde que chegou ao país árabe e destacou que o comandante separou 11 jogadores de um lado do campo, onde os mesmos realizaram um “trabalho tático voltado para a movimentação com a posse de bola”. “Do outro lado, o restante do grupo treinava cruzamentos e finalizações, antes de seguir para fazer o mesmo exercício tático dos demais”, descreveu a nota.

Em junho do ano passado, a Argentina foi a responsável pela primeira derrota de Tite sob o comando da seleção brasileira, por 1 a 0, em Melbourne, na Austrália, no único revés sofrido pela equipe nacional até a Copa do Mundo da Rússia, onde acabou sendo eliminada pela Bélgica ao ser batida por 2 a 1, nas quartas de final.

Apesar do mistério adotado para esta “revanche” com os argentinos, que desta vez não contarão com Lionel Messi, há algumas alterações certas que ocorrerão no Brasil para este amistoso. O goleiro Ederson sairá para a volta do titular Ederson, assim como o lateral Danilo e o zagueiro Miranda ocuparão os respectivos lugares que foram ocupados por Fabinho e Pablo contra a Arábia Saudita. Outras duas mudanças prováveis são as entradas de Filipe Luís na ala esquerda e de Roberto Firmino no ataque, o que deverá provocar as idas de Alex Sandro e Gabriel Jesus para o banco de reservas.

Outro que aparece como candidato a entrar na equipe titular é o volante Arthur. O ex-gremista que hoje defende o Barcelona teve um papo com Tite no gramado durante o treino deste sábado e tem chance de ser escalado no lugar de Fred, outro que foi titular na última sexta. O treinador também conversou com Gabriel Jesus, que desencantou ao marcar o primeiro gol da vitória sobre a Arábia Saudita após passar em branco em todas as cinco partidas que fez na Copa do Mundo.

Desta forma, uma provável escalação do Brasil para o amistoso de terça-feira é a seguinte: Alisson; Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro; Fred (Arthur), Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar; Roberto Firmino.